Open Source Sofware

Trânsito

Educação para o trânsito: escolas recebem peça ‘A última folha da vila – Um conto de Natal’




13.12.17 17:34

Muitos sorrisos, aplausos e olhos bem atentos, assim reagiram os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Professora Maria Thétis Nunes, localizada no Bairro América, à peça 'A última folha da vila - Um conto de Natal'. A ação educativa foi promovida na unidade de ensino nos períodos da manhã e tarde desta terça-feira, 12, pelo grupo de teatro da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), O Cones.


Fruto de parceria com a coordenadoria de Políticas Educacionais Para a Diversidade da Secretaria Municipal da Educação de Aracaju (Coped/Semed), a proposta é estimular a educação e cidadania no trânsito dentro do ambiente escolar. A ação vem sendo realizada durante todo o ano de 2017 abordando os mais variados temas nas escolas da rede. As apresentações continuam, esta semana, nas Emef's Olavo Bilac, João Teles de Menezes e na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Júlio Prado Vasconcelos.


De acordo com o coordenador pedagógico da Emef Thétis Nunes, Leonardo Batista, muitos alunos moram em avenidas movimentadas e em ruas com grande fluxo de veículos e, por isso, a compreensão do que é certo errado no trânsito é fundamental. Leonardo destaca, ainda, que a escola tem que preparar para uma boa conduta e alertar para o papel de cada indivíduo no trânsito.


"A política de educação no trânsito deve ser discutida nas escolas, ensinando os estudantes a compreenderem como é o funcionamento do trânsito para que as pessoas, pensando na valorização da própria vida, possam respeitar o outro e, consequentemente, ajudar a reduzir a incidência de acidentes e mortes", explica o coordenador pedagógico da Thétis Nunes.


Arte que educa


O coordenador do Grupo Cones, Hiel Gomes, pontua que a peça 'A última folha da vila - Um conto de Natal' conta a história de três famílias de uma vila, no sertão nordestino, que sofrem com a seca. Quando um dos moradores vai à cidade em busca de água, acaba sendo atropelado por um motorista distraído e todos da vizinhança unem-se em uma demonstração de esperança, fraternidade e fé. Hiel ressalta que o grupo utiliza da linguagem artística e do período natalino para alertar os estudantes sobre o quanto é importante ter responsabilidade ao dirigir e ao trafegar.


"O intuito é usar a arte como um instrumento informativo para os pedestres e para a futura geração de motoristas. Sabemos que eles sempre conversam sobre esses temas com os colegas e até mesmo com a família, com isso, eles podem ser multiplicadores dessas informações de conscientização", detalha o coordenador do grupo Cones.


A aluna Mirelly Santos Gonçalves, tem 14 anos e cursa o 7º ano, ela comenta que gostou da peça porque alguns assuntos foram abordados de forma descontraída e interessante. "Achei muito legal eles mostrarem que o uso do celular para quem dirige pode causar muitos acidentes", conta.


Ascom/Semed 

telefones-home620

banner-fala-cidadao3